Remédios ficam 10% mais caros a partir desta sexta (1) na Bahia

Fonte: Ibahia

Cálculo para atualizar os valores dos remédios é feito uma vez por ano pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMDE)

Como é previsto em todo mês de abril, a partir desta sexta-feira (1º) os remédios irão ficar mais caros na Bahia. As farmácias já estão autorizadas a aplicar o reajuste de 10,89% aprovado para o setor neste ano. Em 2020, o Governo Federal adiou a alta por causa da pandemia da  Covid-19. Mas, desde 2021, a correção anual voltou a ocorrer normalmente no quarto mês do ano.

A única diferença é que a taxa ultrapassou o valor da inflação, segundo o jornal Correio. Pelo cálculo – com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulada nos últimos 12 meses até fevereiro – o aumento deveria ser de 10,54%. Mas, de acordo com o Sindicato da Indústria Farmacêutica foi levado em consideração outros fatores como os custos de produção.

O cálculo para atualizar os valores dos remédios é feito uma vez por ano pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMDE).

Por meio de nota, o Sindusfarma assegurou que o repasse, embora autorizado para vigorar a partir de hoje, não será automático, nem imediato, devido à concorrência entre as empresas. Procurada pela reportagem do Correio, a CMED não se pronunciou até o fechamento da edição do jornal, às 23h.

De acordo com a Associação Brasileira das Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma), o varejo deverá repassar os aumentos recebidos dos laboratórios.

Plano de saúde deve aumentar em maio 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em breve, os soteropolitanos deverão somar ao valor dos medicamentos, o aumento do preço do plano de saúde. De acordo com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), o reajuste nos preços dos planos já está previsto para maio deste ano.

O percentual ainda está sendo calculado. O aumento é definido com base no Índice de Valor das Despesas Assistenciais (IVDA), na inflação, nas despesas com atendimento aos beneficiários de planos e nos gastos administrativos, segundo a ASN.

Economize na farmácia
Descontos – Aproveite os programas de fidelidade de planos de saúde, laboratórios e farmácias que dão desconto aos clientes cadastrados. Muitos planos têm parceria com farmácias, que oferecem preços menores aos conveniados;

Cadastro – Cadastre-se no Farmácia Popular, onde medicamentos podem sair com até 90% de desconto ou até de graça para quem integra o programa do governo federal;

Genéricos – Dê preferência aos genéricos e já peça para o seu médico fazer a prescrição pelo princípio ativo e não pelo nome comercial, para que você opte pelo genérico se estiver mais barato, geralmente está;

De graça – Retire remédios gratuitos pelo SUS. O Ministério da Saúde disponibiliza remédios de graça para diversas doenças nas unidades básicas de saúde. Só é preciso levar a receita e o RG;