Ex-presidiários são mortos a tiros em residência no bairro Gabriela em Feira de Santana

Fonte: Acorda Cidade

O delegado Luis Filgueiras realizou o levantamento cadavérico das vítimas junto com policiais civis e peritos do Departamento de Polícia Técnica (DPT).

Dois ex-presidiários foram mortos a tiros na tarde desta segunda-feira (28), na Rua Flamengo, bairro Gabriela, em Feira de Santana. As vítimas conversavam na varanda de uma residência, quando três homens pararam o veículo em que estavam na Rua Camélias e foram até a casa para praticar o duplo homicídio.

Foram mortos Willian de Jesus Santos Silva, 24 anos, que morava no imóvel e foi liberado do Conjunto Penal na última sexta-feira (25), com uso de tornozeleira eletrônica, e Paulo Marcelo de Jesus dos Santos, que também estava em liberdade condicional, tendo sido liberado do presídio no dia 6 de dezembro do ano passado.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

O delegado Luis Filgueiras realizou o levantamento cadavérico das vítimas junto com policiais civis e peritos do Departamento de Polícia Técnica (DPT).

A mãe de Willian, Patriciane de Jesus Santos, relatou ao Acorda Cidade que estava nos fundos da residência penteando o cabelo da filha, quando ouviu o barulho dos tiros.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

“Eu não sei informar o que aconteceu, porque mãe é a última pessoa a saber. Eu sei que eu estava em minha residência e escutei o barulho de arma de fogo e não sair, com medo. Quando cessaram os disparos, já estavam os dois em óbito. Estavam sentados todos os dois. Segundo ele, o amigo chegou e pediu um copo d’água, ele foi pegar e eu perguntei quem era. Ele disse que eram conhecidos e que o amigo já estava indo embora. Em seguida, ele veio para o fundo, onde eu estava desembaraçando o cabelo da minha filha, e quando voltou já ouvi o barulho de arma de fogo. Eu estava no fundo da casa. Fiquei em estado de choque, em primeiro lugar. Em segundo, mandei as pessoas que estavam dentro de casa se abaixarem, pela questão dos disparos, pois não sabia de onde estavam vindo. E esperei cessar o tiroteio para sair e saber onde foi”, contou a mãe da vítima.

Segundo Patriciane, o filho ficou preso no Conjunto Penal durante 1 ano, um mês e 20 dias. E na última sexta-feira à tarde, foi liberado com a tornozeleira.

“Ele só saia da minha casa para a casa da avó dele, a uns 500 metros de distância, e logo voltava. Nem do lado de fora ele ficava. Ele foi preso por roubo de carro e porte ilegal de arma. Os dois morreram na varanda da casa, e a minha moto de trabalho foi atingida. Ele residia com minha mãe, mas ficava aqui comigo também”, informou a mãe.

De acordo com a polícia, Willian de Jesus Santos Silva foi liberado da prisão para trabalho externo e ganhou a condicional com a tornozeleira.