Revista encontra pistola em cela de presídio um dia após rebelião com 5 mortos

Fonte: Correio

Situação está tensa em meio a disputa entre facções na cadeia

Embora tenha chegado ao fim da rebelião na Penitenciária Lemos Brito, que começou na tarde deste domingo (20) e deixou cinco mortos, a tensão agora é no prédio vizinho, o Presídio Salvador. Isso porque lá estão as mesmas facções. Uma vistoria na prisão encontrou uma pistola.

A revista feita nesta segunda encontrou uma pistola calibre 40 em uma cela na penitenciária Lemos Brito.O armamento foi localizado no Módulo II da unidade prisional por equipes das polícias Militar, Civil e Penal. Os policiais também encontraram dois carregadores para o armamento.

“A situação lá está tensa. O Presídio Salvador tem a mesma configuração da PLB. Lá estão internos da Comando Vermelho (CV), Tropa do A e a Katiara. Como houve a briga entre o CV e a Tropa do A na PLB, os presos do Salvador estão agitados e o Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) está lá vendo se eles (presos) estão se articulando”, declarou a advogada Desirée Ressutti Pereira, após deixar o complexo, no início da tarde desta segunda-feira.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mas a tensão do Presídio Salvador teria começado ontem mesmo. Logo após o início da rebelião, um preso da unidade simulou suicídio para ser transferido do prédio, pois havia a notícia que integrantes da Tropa A iniciariam também uma matança dos rivais. “Ele disse que provocou os cortes nos braços e pernas porque havia tomado conhecimento de que a Tropa do A ia agir da mesma forma que agiu na PLB. Então, ele, que não é da Tropa, forjou o suicídio e depois revelou tudo”, contou o vice-presidente do Sindicato dos Policiais Penais (Sinsppeb) Fernando Fernandes.

(Foto: Paula Froes/CORREIO)

Ainda de acordo com a advogada Desirée Pereira, um dos 30 clientes que tem no complexo foi um dos baleados na rebelião – foram 11 até agora. “Ele foi atingido no abdômen e nas nádegas , mas já teve alta”, disse. Segundo ela, nesse momento, os presos da PLB estão sendo separados de acordo com a facção. “O prédio possui três andares estão colocando CV em cima, Tropa em baixo e a Kariara está no meio. A intenção é transferir alguns deles, pois não podem mais permanecerem no local”, relatou.

Em nota, a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) diz que a situação já foi controlada e providências ainda são discutidas. “A situação no Complexo Penitenciário da Mata Escura está sob controle, as revistas nas celas é algo da rotina penitenciária, e o Secretário Nestor Duarte Neto e seus diretores e superintendentes estão reunidos para tomarem as devidas providências”,diz o texto.