Ano letivo da rede estadual de ensino começa nesta segunda-feira com aulas 100% presenciais na Bahia; confira orientações

Fonte: G1-BA

Alunos maiores de 18 devem apresentar comprovante de vacinação. Governo do estado publicou em site da Secretaria Estadual de Educação as orientações para a fase totalmente presencial.

O ano letivo nas escolas da rede estadual de ensino da Bahia começa nesta segunda-feira (7) com aulas 100% presenciais.

O governador Rui Costa participará da aula inaugural, prevista para 8h30, na sede do Instituto Anísio Teixeira (IAT), na Avenida Paralela, em Salvador. Estarão na solenidade, o secretário de Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, e como convidada especial, a professora e escritora premiada Conceição Evaristo. Além disso, haverá apresentação do sexteto da Orquestra Juvenil da Bahia (Neojiba).

Com o início do ano letivo 2022, as escolas continuam com os protocolos de biossegurança para atender à comunidade escolar. Segue obrigatório o uso de máscaras de proteção individual durante a permanência na escola. As pessoas maiores de 18 anos devem apresentar o comprovante de vacinação contra a Covid-19 nas portarias das instituições de ensino.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As escolas seguem com a disponibilização de álcool em gel 70% para a higienização das mãos; a aferir a temperatura corporal; e a orientar os estudantes sobre as medidas necessárias para prevenir e combater o novo Coronavírus.

A Secretaria da Educação do Estado (SEC) publicou uma série de orientações e protocolos relacionados às aulas presenciais nas escolas que estão disponíveis no Portal da Educação.

De acordo com o governo do estado, as instuições de ensino estão estruturadas e seguindo os protocolos de biossegurança desde que as aulas foram iniciadas para o ano letivo 2020/21.

As atividades em sala de aula já tinha sido totalmente retomadas na rede estadual, em outubro de 2021, após um ano e sete meses da suspensão devido à pandemia da Covid-19. Apesar do retorno, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB) foi contrário à retomada total em todas as escolas alegando que 100% dos professores ainda não estavam imunizados. Ainda assim, as atividades nas escolas continuaram a ser realizadas.