MP-BA denuncia cinco PMs investigados por invasão e ataque a assentamento em Camaçari

Fonte: G1-BA

Grupo foi denunciado por furto qualificado, dano qualificado, incêndio e associação criminosa. Crime aconteceu no dia 20 de novembro.

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) denunciou os cinco policiais militares investigados por invasão e destruição das casas de 30 famílias no assentamento Sítio Tererê, que fica no distrito de Catu de Abrantes, em Camaçari, região metropolitana de Salvador.

Eles foram denunciados por furto qualificado, dano qualificado, incêndio e associação criminosa. O crime aconteceu no dia 20 de novembro e a medida foi divulgada pelo MP-BA na terça-feira (14).

Os policiais foram presos em flagrante pela própria Polícia Militar, que foi chamada pelos moradores da comunidade. Em depoimento, eles ficaram calados. Todos eles estavam à paisana e fora de serviço no momento do crime. São eles:

  • Antônio Carlos de Jesus Chagas, 56 anos – primeiro sargento;
  • Marcos Silva dos Santos, 41 anos – cabo;
  • Juvenal Silva de Oliveira, 45 anos – soldado;
  • Paulo César Santos de Sousa, 56 anos – primeiro sargento;
  • Marco Aurélio Conceição Nascimento, 48 anos – primeiro sargento.

Por meio de nota, a Corregedoria da PM informou que apura as infrações e crimes, mas que não faz a defesa dos militares. O g1 tenta localizar defesa dos investigados.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Eles chegaram ao local encapuzados e usaram tratores e retroescavadeiras para derrubar os imóveis. Segundo os moradores, há uma especulação imobiliária para implantação de um condomínio de luxo no local. O nome da empresa não foi divulgado.

O Ministério Público detalhou que, durante as investigações, foi identificado que os policiais coordenaram e participaram do crime. Segundo o Grupo Especial de Combate às Organizações Criminosas e Investigações Criminais (Gaeco), eles intimidaram os moradores e também pagaram ao menos 17 indivíduos para desocupar o terreno e cada um recebeu R$ 200 pela participação no esquema.

Câmeras de segurança registram momento em que homens encapuzados chegam em assentamento na BA — Foto: Reprodução/TV Bahia

O MP-BA detalhou que os militares e os outros envolvidos se encontraram na Avenida Luís Viana, mais conhecida como Avenida Paralela, com os veículos e outros materiais, como foices, picaretas, marretas, martelos, enxadas e facões.

Eles seguiram para o Sítio Tererê, e além de destruir as casas, também atearam fogo nas casas, nos barracos e em bens materiais das vítimas. Por ser madrugada, os moradores – incluindo crianças – estavam dormindo e acordaram assustados. Assustados, eles fugiram dos imóveis e se esconderam no mato.