Morre José Antonio de Souza santos o “Nen” prefeito que sacudiu a administração de Acajutiba

Por: José Milton Ferreira

Era um trabalhador incansável e um cidadão notável

José Antônio de Souza Santos nasceu em 08 de março de 1950. Filho de José Hipólito de Souza (Zequinha Hipólito) e D. Maria Calazans, (D.Lilí), era o segundo dos dois filhos do casal. Jovem ainda, se viu órfão do pai, quando encarou de frente às responsabilidades familiares em jornadas diárias, ano após ano, no beneficiamento, transporte e comércio de pedras e paralelepípedos para calçamentos públicos na região, juntamente com seu irmão mais velho Heribaldo, ou Bado como era popularmente conhecida.

Era um trabalhador incansável e um cidadão notável e um amigo e familiar exemplar.

Assim é  que foi escolhido pelo grupo político que se formava na época, para ser o candidato nas eleições de 15 de novembro de 1975, pela ARENA (Aliança Renovadora Nacional) pleito que saiu vencedor juntamente com seu vice Raimundo Vitório. Foi nesta eleição que, ao vencer, para a chapa da situação liderada pelos candidatos Adauto Mota Brito e Antônio da Costa Brito também pela ARENA e do MDB, liderada por  Deí Araujo e Raimundo Correia, encerrou o ciclo político adautista, que vinha desde 1963.

Tomou posse em 15 de Março de 1976 como o segundo prefeito mais jovem da Bahia e, nessa condição revolucionou a gestão  municipal.

A começar pela administração reorganizou as pastas de tributos, saúde e educação com a contratação de pessoal qualificado e a indicação para cargos de um corpo gestor que se notabilizou pela competência.

Reformou as praças centrais,  (Aquinoel Borges e Duque de Caxias)  pavimentou as ruas Luiz Viana, J. J. Seabra, João Bernardino, Joaquim Nabuco, Oscar Correia, Orêncio Couto, Pinto Dantas e Severino Vieira até certa altura, proveu sistema de esgotamento de água pluviais no centro da cidade, renovou o atendimento médico do município através de convênios com o governo do Estado e da AIBA e da LBA, ampliou a iluminação pública da cidade em mais de 300%, inclusive com a iluminação dos distritos e povoados como o Gangú, por exemplo, que naquela época pertencia a Acajutiba.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Reformou a cercania do Cemitérios e trouxe o posto de atendimento do INSS. Construiu escolas nas comunidades do Benedito, Marambaia, Canatubiá, Gameleira, Saco-do-Rocha, Pau-de-Candeia, Pajeú e Bedo Ferreira e foi o responsável pela construção do Estádio Municipal Agenor Pereira. Fez instalar a maternidade municipal e reabriu o posto de saúde, (antiga  Unidade de Saúde Dr. José Milton Correia), além de promover a vinda do sistema de abastecimento de água (Embasa), da telefonia (Telebahia), repetidora de sinal de TV, asfaltamento da BA Acajutiba-Esplanada junto ao governador Roberto Santos. Foi nas suas duas gestões que o município experimentou os dois maiores ciclos de produção agrícola, primeiro com a cultura do maracujá e depois com o coco verde.

Era um administrador por excelência  e um político por carisma.

Em 1982 apoiou a eleição vitoriosa do seu sucessor José Gustavo de Oliveira, e com a fama do grande reformador administrativo que foi, se reeleger no pleito geral de 1988, governando de 1989 até 1992, sendo o primeiro prefeito do período da nova constituição. Na sua segunda gestão em convênio com o governo do Estado, reformou e ampliou o hospital Waldir Pires, construiu o abatedouro e o açougue, ampliou a pavimentação das ruas Altino Calazans, Saturnino de Menezes com a Rua Professora  Maria Esperança, e do asfaltamento da BA  Acajutiba-Crisópolis.

“Nen”, partiu em sua última viagem, como partem os abnegados. Deixa um legado político invejável.

Seu nome e seus feitos permanecerão lapidados na rocha da História de Acajutiba, e está agora se dobra à  sua passagem.

Chorosos ficam seus filhos Rodrigo de Souza Santos, cujo, foi vereador e presidente da Câmara de vereadores; Ariane de Souza Santos, Danielle de Souza Santos do seu primeiro casamento com D. Cleide Moreira, está, que a exemplo do primeiro filho foi também vereadora e Laís Aguiar de Souza Santos do seu segundo casamento com D. Linda Aguiar.

E o pesar dos netos Rodrigo de Filho, Ana Gabriela, Miguel Andrade de Souza Santos, Pietro e Lorenzo.