COVID-19Testagem nas escolas: 18 estudantes tiveram resultado positivo para a covid-19

Fonte: Bahia Notícias

As amostras encaminhadas ao Lacen por meio do projeto foram enviadas por 12 municípios

Amostras de 2.228 alunos, professores e servidores das escolas estaduais já foram encaminhadas ao Laboratório Central do Estado (Lacen/BA). A testagem para a Covid-19 da comunidade escolar começou na Bahia há 10 dias. Nesse período, 1.980 tiveram resultado “não detectável” para SARS CoV-2, 18 amostras foram positivas, 6 foram classificadas com resultado laboratorial inconclusivo e 224 seguem em análise.

As amostras encaminhadas ao Lacen por meio do projeto foram enviadas por 12 municípios: América Dourada, Apuarema, Caravelas, Itanhém, Itapebi, Lajedão, Mairi, Medeiros Neto, Mirangaba, Salvador, Várzea da Rocha e Vereda. As 18 amostras com resultado reagente para SARS-CoV-2 são dos municípios de Itanhém, Itapebi, Medeiros Neto, Mirangaba, Salvador e Várzea da Roça.

Na Bahia, a Superintendência de Vigilância e Proteção da Saúde do Estado da Bahia (Suvisa), em articulação com a Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC), elaborou projeto “Vigilância ativa Covid-19 na rede pública de educação do estado da Bahia – Partiu! #TestagemNasEscolas”, entendida como garantia adicional de que as escolas estaduais e municipais podem reabrir e permanecer abertas com segurança para toda a comunidade escolar.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Até esta semana, 358 municípios manifestaram interesse em participar do projeto. Destes, 157 municípios estavam devidamente cadastrados para acesso ao sistema de informação Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL/Lacen), aptos para início do inquérito epidemiológico. A proposta da Sesab, em parceria com os municípios, fará a testagem de até 180 mil funcionários e estudantes com idade superior a 13 anos da rede pública municipal e estadual, desde que estejam assintomáticos e participando das atividades presenciais. O projeto de testagem da comunidade escolar tem a duração de três meses.

A secretária interina da Saúde, Tereza Paim, sinaliza que a estimativa é de que a amostragem aleatória entre os indivíduos assintomáticos cubra até 20% da comunidade escolar. Tereza pontua ainda que os casos sintomáticos serão submetidos ao teste rápido de antígeno. “Mais rápido e com precisão similar ao teste molecular do tipo RT-PCR, que é o padrão ouro na detecção do coronavírus, ele tem como vantagem a detecção da doença em sua fase aguda, além da velocidade para obtenção do resultado, estimada em 20 minutos. A contraprova será obrigatória e utilizará o RT-PCR”, explica Paim.

No caso de resultados positivos para a Covid-19, os protocolos sanitários preveem isolamento e monitoramento dos estudantes ou funcionários, bem como o rastreamento e quarentena das pessoas que tiveram contato direto com os positivados.

O prazo para adesão ao projeto piloto é até o próximo dia 31 de outubro. Os resultados laboratoriais devem ser monitorados pelas secretarias municipais de saúde, de forma a garantir medidas de vigilância, prevenção e controle COVID-19 no ambiente escolar, em tempo oportuno.