Vídeo mostra Lázaro Barbosa já sem vida dentro de hospital após confronto; relembre trajetória de terror

Fonte: Aratu Online

Lázaro chegou a ser socorrido para o Hospital Municipal Bom Jesus após ser baleado

Depois de driblar mais de 270 policiais durante 20 dias, o suspeito de matar quatro pessoas de uma mesma família no Distrito Federal, morreu após reagir a tiros a um cerco policial em Águas Lindas de Goiás nesta segunda-feira (28/6). Imagens mostram o momento em que o baiano Lázaro Barbosa já chega sem vida a um hospital.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Lázaro chegou a ser socorrido para o Hospital Municipal Bom Jesus após ser baleado, mas não resistiu aos ferimentos. A morte foi confirmada pela Polícia Técnico-Científica de Goiás.

Lázaro foi localizado nas proximidades da casa da ex-mulher dele, onde ele teria sido visto neste domingo (27/6) por moradores. Na ocasião, testemunhas chegaram a acionar a polícia, mas ele conseguiu novamente fugir pela mata. Somente nesta segunda a localização foi confirmada pelo governador de Goiás, Ronaldo Caiado, nas redes sociais.

A Polícia Civil do estado confirmou, minutos depois, que o foragido morreu após ser baleado. Policiais comemoraram a prisão em vídeos que circulam nas redes. Imagens também mostram o fugitivo ferido sendo carregado em um lençol por policiais. Neste momento, o suspeito estava sendo levado para uma viatura do Corpo de Bombeiros.

Lázaro era casado e tem dois filhos, um menino de 4 anos e uma menina de 2 anos. Ele era investigado por mais de 30 crimes de assassinatos, estupros e porte ilegal de arma de fogo, cometidos em Goiás, Bahia e Distrito Federal. O repórter Chico Lopes, da TV Aratu, teve acesso a fotos exclusivas da casa onde nasceu e morou o serial killer Lázaro Barbosa, em Barra dos Mendes, cidade a 500 km de Salvador, que tem pouco mais de 13 mil habitantes.

A casa foi destruída em 2008 pelos moradores vizinhos, após o primeiro crime de Lázaro, aos 18 anos, quando foi acusado de estupro e duplo homicídio.

Imagem Reprodução

Lázaro passou a ser procurado nacionalmente desde o dia 9 de junho, quando ele invadiu uma casa e matou um pai de família e seus dois filhos. A mãe foi sequestrada e violentada. O corpo dela só foi encontrado dias depois.

Após o início das buscas, Lázaro também invadiu propriedades, fez reféns, e atirou em três pessoas, além de um policial. Lázaro ainda teria ateado fogo em uma das casas pelas quais passou e roubado um carro.

A força-tarefa investigava um perfil falso em uma rede social, que teria sido criado pelo criminoso para acompanhar as buscas por ele e, dessa forma, teria conseguido escapar pelos últimos 20 dias de caçada.

Quatro helicópteros e cerca de 10 drones, inclusive aparelhos com visão noturna e sensor de calor, auxiliaram os 270 policiais que participavam das buscas pelo fugitivo. A força-tarefa também recebeu auxílio do Exército Brasileiro, que disponibilizou rádios comunicadores com alcance de 30 quilômetros, da Polícia Militar do Rio de Janeiro, que auxiliou com dois veículos para melhor comunicação das equipes e da iniciativa privada, que colocou à disposição do serviço de inteligência o aplicativo Brasil Mais Seguro, destinado exclusivamente para denúncias sobre o suspeito.

Além disso, um disque denúncia próprio para a operação também foi criado, para auxiliar o trabalho policial. A força-tarefa recebeu cerca de 5,3 mil contatos. Desse total, mais de 95% das informações repassadas pela população não contribuíram com as investigações. O aplicativo Brasil Mais Seguro, que foi disponibilizado para a força-tarefa, teve cerca de 6,8 mil donwloads. Não foram enviados sinais de alerta que pudesse contribuir com a captura do fugitivo.

Na última quinta-feira (24/06), duas pessoas foram presas suspeitas de auxiliar a fuga do fugitivo. Com a dupla, as equipes apreenderam duas armas de fogo e mais de 50 munições. Um dos equipamentos teria sido roubado em um dos crimes investigados. As detenções foram realizadas em Girassol, distrito de Cocalzinho de Goiás. Segundo a apuração, os investigados já teriam tentado retirar o criminoso do perímetro onde ocorrem as buscas.

O tiro que matou Lázaro Barbosa foi disparado dentro de um helicóptero da Polícia Militar que fazia a caçada ao criminoso. A informação foi confirmada pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de Goiás. Nas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro comemorou o fim da caçada.