Wesley Soares de Góes foi alvejado por agentes que negociavam sua rendição durante um suposto surto, no dia 28 de março

Fonte: Bahia.BA

Corregedoria reconstitui ação do Bope que resultou em morte de soldado no Farol da Barra

A Corregedoria-Geral da Polícia Militar fará, a partir das 14h deste domingo (20), na orla do Farol da Barra, a reprodução simulada da ação que resultou na morte do soldado Wesley Soares de Góes, no dia 28 de março deste ano. Wesley, que tinha 38 anos, foi morto por agentes do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) que negociavam sua rendição durante um suposto surto psicótico.

Segundo PM, a reconstituição das cenas faz parte das formalidades do inquérito militar que apura o caso é conduzido em segredo de Justiça. O procedimento tem como objetivo esclarecer as circunstâncias da morte de Wesley por meio de parecer técnico a fim de garantir a lisura e dar suporte à instrução inquérito.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Todos os advogados constituídos nos autos do procedimento investigatório, dentre os quis o representante da família da vítima, foram notificados para acompanhar a simulação.

No dia o suposto surto, Wesley passou cerca de quatro horas dando tiros para o alto com um fuzil. Ele tinha o rosto pintado de verde e amarelo e gritava palavras de ordem diante de um dos principais pontos turísticos da capital baiana.

Alvejado por homens do Bope que tentavam demovê-lo do protesto solitário, ele chegou a ser socorrido por uma ambulância do Samu (Serviço Móvel de Urgência) para o HGE (Hospital Geral do Estado), mas não resistiu aos ferimentos.