Entidade cobra justiça pelas mortes de dois jornalistas baianos

Fonte: Bocão News

A entidade Repórteres Sem Fronteiras cobra esclarecimento e justiça pela morte de dois jornalistas baianos. Weverton Rabelo Fróes, de 32 anos, e José Bonfim Pitangueiras, de 43, foram mortos a tiros no início deste mês. Os dois casos aconteceram em menos de uma semana e, até o momento, ninguém foi preso.

Weverton, conhecido como Toninho Locutor, foi morto na porta de casa, no dia 4 de abril, na cidade de Planaltino, por um homem que estava em uma moto. Ele era fundador e proprietário de uma rádio amadora local, e apresentava um programa humorístico.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Já no dia 9 de abril, Pitangueiras, produtor da TV Record, foi executado em Salvador por dois homens armados que o abordaram a poucos metros de sua casa. Ele seguia para o trabalho a pé nas primeiras horas da manhã.

“Toda luz deve ser lançada sobre esses assassinatos. As autoridades locais e federais devem identificar e levar à justiça os responsáveis por esses crimes, fazendo todo o possível para garantir a proteção dos jornalistas”, declarou o diretor do escritório da RSF para a América Latina, Emmanuel Colombié, que também está preocupado com “os inúmeros ataques à liberdade de imprensa registrados recentemente e o ambiente deletério em que trabalham atualmente os jornalistas brasileiros”.