Mulher é morta a tiros em Itamira e amante do marido é procurada suspeita de ser mandante do crime

Fonte: G1 BAHIA

Caso aconteceu na cidade de Aporá, um dia depois do último Natal. Segundo a polícia, suspeita já foi amiga da vítima e decidiu pelo homicídio após homem desistir dela e reatar com esposa.

Uma mulher foi morta a tiros na cidade de Aporá, acerca de 200 km de Salvador e de acordo com a Polícia Civil da cidade. A amante do marido é procurada suspeita de ser mandante do crime.

Em entrevista ao G1 nesta quarta-feira (10), o delegado Antônio Luciano Lima, responsável pelas investigações, disse que o crime ocorreu na manhã do dia 26 de dezembro de 2020, na frente do mercadinho em que a vítima, identificada como Carolina Pereira da Silva, trabalhava.

“As investigações foram desenvolvidas e a gente chegou autoria mediata, que é a mentor intelectual, que seria Claudia Batista Lopes, conhecida como Lila, que se encontra foragida e um dos executores que é Cleto Pinheiro Santos Filho, conhecido como Negão do Cleto”, disse o delegado.

Carolina Pereira era amiga da suspeita, que está com um mandado de prisão preventiva em aberto.

De acordo com o delegado, Carolina Pereira foi morta por três homens, que chegaram em um carro branco e atiraram na vítima, quando ela abria o estabelecimento em que trabalhava, por volta das 8h. Os suspeitos fugiram do local após o crime, em direção da rodovia que dá acesso ao entroncamento com a BR-110 e o povoado “Chapada”, com acesso aos municípios de Crisópolis e Olindina.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Carol e o marido tinham dois filhos — Foto: Arquivo Pessoal

As investigações apontaram que Carolina era uma mulher amiga dos vizinhos e que não tinha inimigos. A morte ocorreu meses antes da vítima se separar do marido.

“Um crime de bastante repercussão que deixou a cidade bastante comovida, porque a Carolina Pereira da Silva, a Carol, era uma mulher exemplar, uma trabalhadora, uma mãe de família dedicada a seus filhos”, disse Antônio Luciano Lima. 

 

O delegado informou que o relacionamento de Carolina com o marido terminou após ela descobrir que o marido tinha uma relação extraconjugal com Lila, Claudia Batista Lopes. 

Claudia é suspeita de ter mandado cometer crime — Foto: Arquivo Pessoal

O delegado revelou que Lila também era casada e terminou um relacionamento com o esposo dela, com a esperança de começar uma família com o marido de Carolina. Entretanto, ele desistiu da separação e voltou a conviver com a ex-esposa e os filhos e isso pode ter sido a motivação do crime.

As investigações apontaram que a decisão do amante de Lila deixou ela desequilibrada psicologicamente e que ela teria até mencionado sobre cometer suicídio com pessoas próximas.

Carro usado no crime foi encontrado

 

Carro foi encontrado em oficina na cidade de Crisópolis — Foto: Arquivo Pessoal

O carro usado no crime foi encontrado um dia depois do crime em uma oficina na cidade de Crisópolis, a cerca de 234 km de Aporá. O delegado explicou que o dono do veículo relatou que o carro estava emprestado para um homem chamado Cleto Pinheiro dos Santos, no dia do crime.

As investigações do caso mostraram que o dono do carro usado no crime não teve envolvimento no caso. Já Cleto Pinheiro é procurado como um dos três suspeitos de terem participado do crime e é procurado pela polícia. Os outros dois homens não foram identificados.

Comportamento suspeito

Mulher é morta a tiros e amante do marido dela é procurada suspeita de ser mandante do crime — Foto: Arquivo Pessoal

A delegado revelou que testemunhas contaram que Lila mostrou um comportamento estranho na noite de natal, um dia antes do crime. Eles revelaram que ela estava “desesperada” à procura de “fazer dinheiro”.

Antônio Luciano Lima acredita que esse dinheiro seria usado para pagar os autores do crime.

O caso é investigado na delegacia de Aporá, que ainda tenta identificar os outros dois suspeitos e cumprir os mandados de prisão contra Claudia Batista Lopes e Cleto Pinheiro dos Santos.